EM NOME DO SENHOR

Karen Amstrong produziu um volume monumental sob o título “Em nome de Deus”, buscando demonstrar a ação desastrosa, embora bem intencionada, de muitos religiosos, através dos séculos.

Não obstante, vivemos dias sob o negrume da ignorância religiosa, tanto em outros, como também, dentro do nosso arraial. Há tanta água benzida, sal grosso que liberta, sete mergulhos para conseguir a bênção, trevos que dão sorte, essências energizadas e outros muitos enganos. Também temos Natal que Jesus não é lembrado e ressurreição usurpada pelo coelhinho da páscoa, ou seja, vivemos uma grande farsa religiosa. Infelizmente tudo é feito em nome do Senhor.

Ao fazer algo em nome do Senhor, bom seria que fizéssemos tal qual o Senhor ordenou, pois somente assim, legitimaríamos o ato com a manifestação da vontade de Deus. Quando o pequeno Davi se deparou com Golias, disse-lhe: “eu venho contra ti em nome do Senhor”. A declaração destitui Davi de si mesmo para fazer prevalecer por meio dele a manifestação divina. Assim é que, toda vez que suprimimos nosso querer e entronizamos, em nós, a vontade de Deus, não restará qualquer dúvida de que, realmente, fazemos algo em nome do Senhor.

A declaração do apóstolo Paulo de que “vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim”, concede-nos, claramente, um norte a ser seguido, provavelmente, por este motivo, o apóstolo conseguia entender que ele tinha por lema a busca de viver pela vontade de Deus. Não diferente, escreve T. B. Mastown em seu pequeno livro sobre “a vontade de Deus e sua vida” que precisamos ter sensibilidade para identificar, de modo translúcido, qual é a vontade de Deus, e assim, somente assim, nos certificarmos de que estamos agindo EM NOME DO SENHOR.

Pr. Celso Ribeiro Filho

Next

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *